Lab Grown Diamonds

O que levou a De Beers a venturar-se no mercado de Lab-Grown Diamonds?

De Beers é a maior empresa de extração e venda de diamantes no mercado atual. Ela por algum tempo veio tendo uma visão desfavorável a respeito dos Lab-Grown Diamonds, até anunciar em Maio deste ano uma mudança drástica em sua política.

Chủ Dề

Motivo Número 1 – Queda na influência da De Beers no setor de Diamantes

Motivo Número 2 – A presença da China, que avança cada vez mais em termos de tecnologia e produção no setor de Lab-Grown Diamonds.

Como ficará o Lab-Grown Diamond no mercado de diamantes a partir de agora?

Qual você prefere?

Motivo Número 1 – Queda na influência da De Beers no setor de Diamantes

E quem nos conta a respeito desta mudança de política da De Beers é Ito, membro do conselho de diretores do Projeto Pure Diamond Coin.

“Existem companhias do setor de Lab-Grown Diamonds nos Estados Unidos que não possuem relação alguma com a De Beers. Estas mesmas companhias recebem um generoso apoio e investimento por parte de estrelas de Hollywood e celebridades, criando um nicho que a De Beers não possui controle algum. Com a sua influência diminuindo no setor de Diamantes, a De Beers se viu praticamente obrigada a tomar alguma atitude para mudar a situação no mercado, completamente diferente de 10 anos atrás”.

Há uma tendência entre os americanos em aceitar mais facilmente a entrada dos Lab-Grown Diamonds no mercado por conta do seu ponto de vista ético.

Os Lab-Grown Diamonds não fomentam conflitos como os diamantes naturais, nem causam problemas trabalhistas nos locais de extração, além de não causar os enormes danos ao meio-ambiente.

Acredita-se que estes sejam alguns motivos para o grande crescimento do mercado de Lab-Grown Diamonds nos Estados Unidos, e só restou a De Beers fazer o possível para não ficar para trás neste novo fluxo.

Motivo Número 2 – A presença da China, que avança cada vez mais em termos de tecnologia e produção no setor de Lab-Grown Diamonds.

Até então os Lab-Grown Diamonds eram fabricados especificamente para as indústrias.

Ishizuka, membro do conselho de diretores do Projeto Pure Diamond Coin também participou desta jornada.

Porém com o avanço da tecnologia na criação dos Lab-Grown Diamonds, os diamantes então passaram a serem produzidos não só para a indústria mas também para consumidores finais como artigo precioso e ornamento.

Todos os Lab-Grown Diamonds utilizados no Projeto Pure Diamond Coin são Made in Japan, mas é a China que se destaca no cenário atual do avanço de produção dos Lab-Grown Diamonds.

As fábricas de produção de Lab-Grown Diamond na China contam com milhares de máquinas onde cada uma produz até 100 artigos em uma só vez.

Então os Lab-Grown Diamonds produzidos na China são enviados para polimento na vizinha Índia.

Muitas vezes os profissionais de polimento na Índia acabam misturando por erro os Lab-Grown Diamonds com diamantes naturais.

Por este motivo, não só a De Beers mas outras empresas no ramo de jóias buscam cada vez mais por máquinas de tecnologia de ponta para testar e  certificar os diamantes.

A De Beers está investindo pesado para desenvolver seu próprio Sistema de verificação de diamantes.

Com a revolução na tecnologia de produção, podemos esperar cada vez mais por Lab-Grown Diamonds ainda mais exuberantes e com valores mais em conta.

Também acredita-se que todo este empenho por parte da De Beers para melhorar sua tecnologia de teste de diamantes servirá principalmente com o intuito de fazer uma clara distinção no mercado para os consumidores entre os diamantes naturais e os Lab-Grown Diamonds, oferecendo uma imagem que o último é um artigo de baixo valor, deste modo preservando a imagem do diamante natural como artigo superior de luxo e protegendo o mesmo, que outrora já proporcionou imensos lucros a empresa, do novo conceito de Lab-Grown Diamonds no mercado.

Como ficará o Lab-Grown Diamond no mercado de diamantes a partir de agora?

A resposta unânime dos membros da diretoria do Projeto Pure Diamond Coin é que os “Lab-Grown Diamonds não tomarão o mercado de diamantes naturais como um todo”.

Mas por outro lado “é evidente que o mercado de Lab-Grown Diamonds é bastante promissor daqui para frente”.

Ishida complementa abaixo sobre a presença dos Lab-Grown Diamonds no mercado daqui em diante.

“Não significa que os diamantes naturais sumirão do mercado. Por exemplo, nós seríamos como um Approach no mercado de relógios de pulso automáticos dominados pelo Rolex. A presença do Approach não significa ameaça para o Rolex, pelo contrário, eles coexistem. Mas o que podemos dizer é que sem dúvidas o Lab-Grown Diamond crescerá em todo o mundo e mais pessoas, inclusive no Japão passarão a utilizá-los como artigo pessoal, é justamente neste conceito que estamos investindo”.

Junto ao Pure Diamond Coin, com a expansão massiva da produção de Lab-Grown Diamonds da China a qualidade já ultrapassa a do natural.

Apenas 2% de todos os diamantes naturais são livres de impurezas, já 100% de todos os Lab-Grown Diamonds são livres de qualquer impureza.

A colaboração do Pure Diamond Coin com o Lab-Grown Diamond também permitiu a aquisição da tecnologia Blockchain, disponibilizando sua data de produção entre outras informações individuais para fácil confirmação através de aplicativos.

É possível presentear a namorada com um diamante criado no mesmo dia do aniversário dela.

O diamante que até então trazia apenas beleza, agora tem sua própria [História].

Também é possível a criação de diamantes de cores diversas, objeto raríssimo em termos de diamante natural.

É possível produzir por exemplo um Diamante Vermelho, artigo extremamente raro que até mesmo poucos especialistas já viram com os próprios olhos.

Além do mencionado anteriormente, os Lab-Grown Diamonds não fomentam conflitos nem causam problemas trabalhistas.

Os Lab-Grown Diamonds só tem pontos positivos a oferecer.

Todo o conselho de diretores do Projeto Pure Diamond Coin não tem dúvidas de que cada vez mais as pessoas passarão a utilizar os Lab-Grown Diamonds em seus cotidianos, em um Mundo de coexistência entre diamantes naturais e Lab-Grown Diamonds.

Qual você prefere?

(artigo de referência)

https://www.nikkei.com/article/DGKKZO33692820R00C18A8QM8000/

The Nihon Keizai Shinbun – [A Gigante de diamantes De Beers busca a *separação dos mercados* entre diamantes naturais e artificiais. Evolução na Tecnologia e aumento de oferta de Jóias na China] – 2018/8/2

Artigos Em Destaque

Artigos Relacionados

PURE DIAMOND COINS